você está aqui: Home  → Arquivo de Mensagens

Usando o autofs e automunt

Colaboração: Carlos E. Morimoto

Data de Publicação: 04 de Outubro de 2005

O suporte à montagem automática do drive de CD-ROM e disquete é usado a tempos em várias distribuições Linux. Apesar disso, muitas distribuições não trazem este recurso habilitado por default, pois automount não é o sistema mais estável do mundo. Ele trava ou se confunde com uma certa freqüência, fazendo com que seja necessário ficar forçando a montagem ou ejeção do CD manualmente.

O Kurumin é um exemplo de distribuição que não usa o automunt por padrão. Nele você encontra dois ícones no Desktop, para acessar o CD e ejetá-lo.

Este ícone para ejetar o CD, encontrado no Kurumin é uma solução para um problema comum. No Linux você não consegue desmontar, muito menos ejetar o CD-ROM enquanto existe algum programa acessando os arquivos. Se você esquecer uma janela do Konqueror ou uma instância do OpenOffice acessando algum arquivo do CD, você vai ficar com ele preso até se fechá-la ou reiniciar a máquina. Isto é irritante às vezes. Em muitos casos você quer simplesmente uma forma rápida de ejetar o CD, custe o que custar.

O ícone para ejetar o CD roda os comandos: "fuser -k /mnt/cdrom; umount /mnt/cdrom; eject /mnt/cdrom".

O "fuser" fecha qualquer programa que esteja acessando a pasta /mnt/cdrom, para que o CD-ROM possa ser desmontado e ejetado. É um sistema manual, mas que pelo menos funciona sempre, de uma forma previsível.

Mesmo assim, você pode ativar o suporte à montagem automática de uma forma simples na maioria dos casos.

O autofs/automount é a combinação de um módulo de Kernel e um conjunto de utilitários e arquivos de configuração, que são instalados com o pacote autofs.

Em primeiro lugar, certifique-se que os módulo "autofs" ou "autofs4" está carregado. Rode o comando "lsmod" e verifique se ele aparece na lista. Caso não esteja carregado, habilite-o com o comando "modprobe autofs4" (ou "modprobe autofs", dependendo da distribuição) e adicione a linha "autofs4" no final do arquivo /etc/modules, para que ele seja carregado automaticamente durante o boot.

Se este módulo não estiver presente, as coisas se complicam, pois você precisaria recompilar o Kernel, instalando o patch e ativando o suporte a ele.

O próximo passo é instalar o pacote "autofs" usando o gerenciador de pacotes incluído na sua distribuição. Nas derivadas do Debian instale com um:

  # apt-get install autofs

No Slackware o pacote está disponível dentro da pasta "extras", disponível no segundo CD.

O autofs é configurado através do arquivo /etc/auto.master. Um exemplo de configuração para este arquivo é:

  # /etc/auto.master
  # Linha que ativa o automount para o CD-ROM:
  /mnt/auto /etc/auto.misc --timeout=5

A pasta "/mnt/auto" é a pasta que será usada como ponto de montagem quando um CD-ROM for inserido. Você pode usar qualquer pasta, como /autofs, /auto e assim por diante. Porém, lembre-se de sempre usar uma pasta exclusiva, pois ao configurar o autofs para usar uma pasta com outros arquivos ou pastas dentro eles ficarão inacessíveis até que ele seja desativado.

A opção seguinte, "/etc/auto.misc" indica um segundo arquivo, onde vão mais opções, incluindo os drives que serão monitorados. Você pode alterar o nome do arquivo, o importante é seu conteúdo. A última opção, "--timeout=5" especifica que depois de 5 segundos de inatividade o CD-ROM ou disquete é automaticamente desmontado, permitindo que você use o botão de ejetar do drive. Como disse, ele não conseguirá ejetar o CD-ROM se houver algum aplicativo acessando o CD, uma janela do gerenciador de arquivos acessando a pasta /mnt/auto/cdrom por exemplo. Você primeiro terá que fechar tudo para depois conseguir ejetar o CD.

O arquivo "/etc/auto.misc" que estou usando no exemplo contem:

  # /etc/auto.misc
  # Estas linhas contém as instruções necessárias para ativar o
  # autofs para o CD-ROM e floppy.
  cdrom  -fstype=iso9660,ro,nosuid,nodev :/dev/cdrom
  floppy  -fstype=auto,noatime,sync,umask=0  :/dev/fd0

Agora falta apenas iniciar o serviço do autofs:

  # /etc/init.d/autofs start

O CD-ROM ficará acessível através da pasta "/mnt/auto/cdrom" e o disquete na pasta "/mnt/auto/floppy", indicadas no segundo arquivo. Lembre-se de criar a pasta "/mnt/auto" caso ela não exista.

Ao simplesmente acessar a pasta /mnt/auto/ você não verá o "cdrom", para acessar o CD é preciso ir direto ao ponto, acessando a pasta /mnt/auto/cdrom diretamente. Para facilitar isso, você pode criar um link "cdrom" dento do diretório home, ou no desktop. Assim você clica sobre o "cdrom" e já vai direto à pasta. Para isso, use o comando:

  $ ln -s /mnt/auto/cdrom ~/cdrom

Curso Redes e Servidores Linux, com Carlos E. Morimoto

Este curso é focado na instalação de redes entre máquinas Linux e Windows e configuração de servidores Linux.

Uma das preocupações do curso é deixar de lado o enfoque em coisas basicas como instalar o sistema (que são abordadas no curso Libux Primeiros Passos) e desde o início aborar a configuraçao de servidores. Isso faz com que o curso tenha um bom nível técnico. Durante as 32 horas do curso dá tempo de abordar, por exemplo, a configuração completa do Squid (com filtros de conteudo, autenticacao, proxy tansparente, etc.) LTSP (com inclusive som e CD-ROM locais nas estacoes) e Samba, como PDC.

  • São Paulo, início dia 10/10 (intensivo, à tarde)
  • Porto Alegre, início dia 17/10 (noturno)
  • Brasília, início dia 21/11 (intensivo, à tarde)

Veja detalhes sobre o curso, temas abordados, valores e locais no: http://www.guiadohardware.net/cursos/

Para dúvidas sobre o conteúdo do curso, escreva para o <morimoto (a) guiadohardware net>



Veja a relação completa dos artigos de Carlos E. Morimoto

 

 

Opinião dos Leitores

Seja o primeiro a comentar este artigo
*Nome:
Email:
Me notifique sobre novos comentários nessa página
Oculte meu email
*Texto:
 
  Para publicar seu comentário, digite o código contido na imagem acima
 


Powered by Scriptsmill Comments Script