você está aqui: Home  → Arquivo de Mensagens

Terminais-X - uma proposta diferente

Colaboração: Marcos Castilho

Data de Publicação: 29 de Agosto de 2001

Nao resisti à ultima dica sobre os terminais-X, e queria apresentar uma alternativa que está em uso no Departamento de Informática da Universidade Federal do Paraná há dois anos, e funciona a contento.

Com relacao à parte tecnica, ver abaixo. Mas vale a pena avisar desde já que o que segue é apenas a ponta do iceberg de uma filosofia de gestão de recursos computacionais eficiente e de qualidade, totalmente baseada em Software Livre, e que são descritos em dois artigos:

  • http://www.inf.ufpr.br/~marcos/wei01= Artigo completo apresentado no I Workshop sobre Ensino de Computacao no XXI Congresso da SBC.

  • http://www.inf.ufpr.br/~marcos/wsl01= Resumo do primeiro, publicado no II Workshop sobre Software Livre apresentado durante o II Forum de Software Livre em Porto Alegre, recentemente.

    1- Servidor:
  • Instale em uma maquina potente com bastante memoria: o servidor X o xdm (ou similar) os gerenciadores de janela que sua maquina suportar (icewm, wmaker...) os aplicativos que voce quiser (netscape, staroffice, etc.)
  • Configure o xdm para aceitar conexoes de clientes: basta alterar o /etc/X11/xdm/Xaccess, o arquivo e' auto-explicativo.
  • Veja tambem o arquivo /etc/X11/xdm/xdm-config, que tem vindo configurado por default para negar acesso aos clientes. Tem que comentar a ultima linha da seguinte sequencia:
      ! SECURITY: do not listen for XDMCP or Chooser requests
      ! Comment out this line if you want to manage X terminals with xdm
      ! DisplayManager.requestPort:	0
    
    2- No cliente:
  • Instale apenas o servidor X correto para sua placa de video
  • Configure corretamente o XF86Config
  • Edite o arquivo /etc/inittab, procurando as linhas:
      # /sbin/getty invocations for the runlevels.
      1:2345:respawn:/sbin/getty 38400 tty1
      2:23:respawn:/sbin/getty 38400 tty2
      3:23:respawn:/sbin/getty 38400 tty3
      4:23:respawn:/sbin/getty 38400 tty4
      5:23:respawn:/sbin/getty 38400 tty5
      6:23:respawn:/sbin/getty 38400 tty6
    
    trocando-as por:
      # /sbin/getty invocations for the runlevels.
      1:2345:respawn:/usr/X11R6/bin/X -query xdmserver
      #2:23:respawn:/sbin/getty 38400 tty2
      #3:23:respawn:/sbin/getty 38400 tty3
      #4:23:respawn:/sbin/getty 38400 tty4
      #5:23:respawn:/sbin/getty 38400 tty5
      #6:23:respawn:/sbin/getty 38400 tty6
    
    xdmserver é o nome (ou um alias) para o(s) servidor(es) xdm do passo 1.

    Note que desta maneira não há login algum nos terminais, o que é bom do ponto de vista de segurança. Pode-se alterar o getty para que faça um ssh nos servidores também, neste caso não há a menor necessidade de instalar NIS (por exemplo) em um terminal.

    Na verdade, o "-query" pode ser trocado por "-indirect", que terá o efeito de apresentar no cliente um menu com as máquinas servidoras disponíveis, ao invés da janela de login que aparece usando-se -query. Pode-se configurar o Xaccess do servidor xdm para mostrar somente certas máquinas (por default o xdm faz um broadcast e qualquer máquina que roda xdm pode em potencial aparecer no menu).

    3- Rede: Quanto mais máquinas houver como terminais-X, maior a necessidade de você ter uma rede com comutadores de alto desempenho.

    NOSSO EXEMPLO:

    No DInf/UFPR os servidores sao 4 PentiumIII duais com processadores de 500MHz a 866MHZ, com 512MB de RAM cada, todos diskless.

    Os terminais-X são: 486s, pentiuns 75, 90, 133, 166, 200, k6II 350 e 500, afinal, prá que usar um k6II 500 se eu posso usar um PIII de 1GHz ?!?!?!? Durante quase dois anos, eles tinham HDs que variavam de 80MB (nos velhos 486s) a 4.3GB (nos não tão novos assim K6II-350). Hoje, nenhum dos nossos 76 terminais-X instalados tem disco, todos butam remotamente e montam suas raizes remotamente.

    Com relacao aos switches, no DInf/UFPR toda a rede é comutada a 10/100Mbps.

    PROBLEMA: você não vai conseguir usar o disquete no terminal-X, pois não há login nele. Duas alternativas: 1- habilitar login nos terminais (instalar NIS ou algo que o valha) 2- usar uma combinacao de ftp e autofs para acessar o disquete via ftp ! Isto segue numa proxima dica.

    VANTAGEM: você pode investir menos nos terminais, trocar um monitor e o mouse/teclado é suficiente para recuperar um velho computador. A verba economizada você investe no servidor, por exemplo comprando mais memória. De quebra, programas como o staroffice, falsamente acusados de "pesados", se comportam muito bem, pois são altamente eficientes no compartilhamento de memória. Na verdade, quanto maior o número de instâncias de staroffices na mesma máquina, melhor o desempenho. No DInf/UFPR, o primeiro staroffice leva de 5 a 10 segundos para carregar até mesmo em um velho pentium75. Os outros 10, 20 ou até mesmo 30 (!) levam menos tempo e NAO degradam a máquina servidora.

    Qualquer coisa, basta entra em contato ! Marcos Castilho <marcos (a) inf ufpr br>


Veja a relação completa dos artigos de Marcos Castilho

 

 

Opinião dos Leitores

Seja o primeiro a comentar este artigo
*Nome:
Email:
Me notifique sobre novos comentários nessa página
Oculte meu email
*Texto:
 
  Para publicar seu comentário, digite o código contido na imagem acima
 


Powered by Scriptsmill Comments Script