você está aqui: Home  → Arquivo de Mensagens

Maddog sobre as empresas Linux

Colaboração: Rubens Queiroz de Almeida

Data de Publicação: 31 de Outubro de 2002

Este é um resumo das conversas que a 4Linux teve com o Maddog sobre CIOs que acham que terão que pagar a conta de empresas de Linux que ainda não atingiram o ponto de equilíbrio.

Quem quiser o texto original em Inglês, poderá pegar em no site http://www.4linux.com.br

Aqui está a versão em Português:

O mercado de Linux começou com um pequeno, mas entusiasmado grupo de pequenas empresas que eram boas tecnicamente, mas pobres em tino de negócio. Eles pensaram que tudo que tinham que fazer era agrupar softwares em um pequeno pacote, e o mundo abriria caminho aos seus pés.

Eles inclusive esqueceram ou calcularam muito mal:

  • Aplicações
  • Gastos versus Ganhos
  • Inércia do Mercado etc.

    Além disso, o mercado naquela época estava sendo condicionado por 'Venture Capitalists', ou seja pessoas com muito dinheiro dispostas a investir, mas que não entendiam do mercado de Linux e nem de Open Source até o momento. Eles pensavam que havia um tipo de fórmula mágica que desenvolveria o mercado rapidamente.

    As empresas de distribuição que se foram, se foram por que tinham:

  • Um Plano de Negócios ruim ou
  • Um Gerenciamento ruim ou
  • Um Controle Financeiro ruim

    ou, tudo junto de uma única vez. Mas não tinha nada de errado com o Mercado de Linux, o qual estava firmemente em crescimento, e mais tarde quase em uma escala exponencial de crescimento.

    Você está correto quando diz que a Red Hat e a Conectiva tem várias despesas, que elas não podem evitar, e isso as traz definitivamente a uma demora de atingir lucros maiores. Mas mesmo assim, elas conseguiram bons contratos com empresas como IBM e HP.

    Eu não posso dizer quais são os ganhos, ou perdas da Conectiva, mas se você olhar para a Red Hat (que tem informações financeiras disponíveis ao público), verá que ela está indo a uma direção de lucro, quadrimestre a quadrimestre. A última informação que eu soube, eles estavam muito próximos ao ponto de equilíbrio e assim como o mercado se expande, também seus lucros... mais rápidos inclusive que seus gastos. Logo, tornar-se-á uma empresa solidamente lucrativa.

    O mercado de Linux hoje ainda é uma pequena fração do mercado da Microsoft, mas com seu crescimento em tamanho (China, India, América do Sul, Leste da Europa), em participação do mercado (ganhando mercado de sistemas operacionais), e em penetração (Redução de Custos com Hardware, permitindo computação chegar onde nunca esteve antes), criará rendimentos para todos. Você acha que empresas como IBM e HP continuariam a apostar no Linux, se eles não fossem ganhar dinheiro com isso? Mesmo que eles tivessem feito um erro inicial, eles teriam voltado atrás. Mas eles ainda apostam, e agora mais empresas estão entrando nesse mercado, como a SUN por exemplo.

    Sobre a questão de alguns CIOs terem que pagar a conta de empresas de Linux que ainda não atingiram o ponto de equilíbrio, eles já ESTÃO 'pagando a conta'. Eles a estão pagando à Microsoft. De onde você acha que a Microsoft ganha seu dinheiro? Ela ganha todo esse dinheiro deles. E é dinheiro que vai para fora do Brasil, direto para os Estados Unidos. 4Linux e Conectiva geram empregos e receitas para Brasileiros, que compram comida nacional, que moram em casas nacionais e que pagam seus impostos nacionais.

    Você pode perguntar aos CIOs o que acontece quando uma empresa de software proprietário fecha, ou cancela uma linha de produção? Os CIOs 'pagam a conta' também. Quantos estão 'pagando a conta' pela Microsoft ter descontinuado o suporte ao Office 97, ou ao Windows 98 e os forçado a irem para o XP? Quantos vão 'pagar a conta' quanto a BSA (ABES no Brasil) baterem suas portas? Eles não terão escolha, por que eles não terão alternativa. Se a Red Hat sair do mercado ou criar licenças ruíns, ou alterar a remuneração de suas licenças, existe a SuSE, Conectiva, Red Flag, SOT ou Debian. E pela licença permitir aos CIOs alterarem seus códigos, eles podem contratar por exemplo a 4Linux para ajudá-los a continuar na mesma distribuição indefinidamente. Os seus investimentos em Hardware, Aplicações e Treinamento serão protegidos com o Linux e o OpenSource. Já nos produtos proprietários não.

    Maddog


Veja a relação completa dos artigos de Rubens Queiroz de Almeida

 

 

Opinião dos Leitores

Seja o primeiro a comentar este artigo
*Nome:
Email:
Me notifique sobre novos comentários nessa página
Oculte meu email
*Texto:
 
  Para publicar seu comentário, digite o código contido na imagem acima
 


Powered by Scriptsmill Comments Script