você está aqui: Home  → Arquivo de Mensagens Programação Shell Linux: Inscrições Abertas

Listagem de diretórios e arquivos com o comando ls

Colaboração: Rafael Moraes da Costa

Data de Publicação: 08 de setembro de 2010

O ls é um dos comandos mais conhecidos e utilizados em sistemas Unix-like. Em sua forma mais simples, lista o conteúdo de determinado diretório, contudo, com as opções certas, é capaz de prover informações que vão além da listagem de arquivos.

Vejamos algumas explicações seguidas por exemplos do ls e suas opções.

Mostrar tipos de arquivos; Para descobrir rapidamente quais tipos de arquivos estão armazenados em determinado diretório, basta utilizar a opção abaixo. Onde (/) está para diretórios, (*) para arquivos executáveis e (@) para links simbólicos:

$ ls -F
dir/  exec@  exec.sh*

Listar conteúdo de um determinado diretório e de todos sub-diretórios; Esta opção é útil quando é necessário identificar arquivos e diretórios, elimina a necessidade de uma busca diretório por diretório ou até mesmo da utilização de ferramentas de busca como find ou locate:

$ ls -R dir/
dir/:
dir1

dir/dir1:
file1

Listagem quase completa, porém oculta a representação do diretório corrente (.) e do diretório pai (..):

$ ls -A
.bash_history  .bash_logout  .bash_profile  .bashrc  dir  dir2  exec  exec.sh  .hidden  .ssh

Listar arquivos ocultos; Utilizando esta opção, todos arquivos são mostrados inclusive os ocultos. Os arquivos e diretórios ocultos são precedidos por um ponto (.):

$ ls -a
.bash_logout  .bash_profile  .bashrc

Listar arquivos detalhadamente; Com esta opção pode-se visualizar informações mais detalhadas.

A primeira coluna detalha as permissões do arquivo ou diretório e ainda informa o tipo do arquivo*, nota-se no exemplo drwxr-xr-x que se trata de um diretório (d), com permissão rwxr-xr-x 755, portanto o usuário dono tem permissão para leitura, escrita e execução, o grupo e outros tem permissão de leitura e execução, a segunda é a quantidade de links ou diretórios, a terceira e quarta mostram o usuário dono e grupo dono respectivamente, na quinta coluna temos o tamanho em bytes (Quando é um diretório este valor representa o número de blocos usados pelo diretório para armazenar as informações sobre seu conteúdo), depois a data e hora da última modificação e por fim o nome (quando se trata de um link simbólico, o nome do link aponta para o arquivo original, como demonstrado abaixo):

$ ls -l
total 12
drwxr-xr-x 3 rafael rafael 4096 Ago 29 14:00 dir
drwxr-xr-x 2 rafael rafael 4096 Ago 29 14:17 dir2
lrwxrwxrwx 1 rafael rafael    7 Ago 29 13:57 exec -> exec.sh
-rwxr-xr-x 1 rafael rafael   19 Ago 29 13:56 exec.sh

Tipos de Arquivos

-rwxr-xr-x Arquivo comum
drwxr-xr-x Diretório
lrwxr-xr-x Link Simbólico
brwxr-xr-x Arquivo de dispositivo - Bloco ( Block device file )
crwxr-xr-x Arquivo de dispositivo - Caracter ( Character device file )
prwxr-xr-x FIFO ( First in First Out - Named Pipe )
srwxr-xr-x Socket

Listar arquivos de forma mais inteligível; Esta opção mostra uma saída mais legível, os tamanhos são apresentados em Bytes, Kilobytes, Megabytes e etc. Não sendo necessário a converção de bytes para Megabytes e outras unidades:

$ ls -lh
total 12K
drwxr-xr-x 3 rafael rafael 4,0K Ago 29 14:00 dir
drwxr-xr-x 2 rafael rafael 4,0K Ago 29 14:17 dir2
lrwxrwxrwx 1 rafael rafael    7 Ago 29 13:57 exec -> exec.sh
-rwxr-xr-x 1 rafael rafael   19 Ago 29 13:56 exec.sh

Listar um diretório detalhadamente, mas sem apresentar o conteúdo; Normalmente quando se lista um diretório o comando ls é usado tendo como único argumento o diretório (ls dir) e todo o conteúdo do diretório é mostrado:

$ ls -ld dir
total 4
drwxr-xr-x 2 rafael rafael 4096 Ago 29 14:00 dir1

Listar arquivos ordenados por data e hora com os mais novos em primeiro:

$ ls -lt
total 12
drwxr-xr-x 2 rafael rafael 4096 Ago 29 14:17 dir2
drwxr-xr-x 3 rafael rafael 4096 Ago 29 14:00 dir
lrwxrwxrwx 1 rafael rafael    7 Ago 29 13:57 exec -> exec.sh
-rwxr-xr-x 1 rafael rafael   19 Ago 29 13:56 exec.sh

Listar arquivos ordenados por data e hora, desta vez com os mais antigos em primeiro:

$ ls -ltr
total 12
-rwxr-xr-x 1 rafael rafael   19 Ago 29 13:56 exec.sh
lrwxrwxrwx 1 rafael rafael    7 Ago 29 13:57 exec -> exec.sh
drwxr-xr-x 3 rafael rafael 4096 Ago 29 14:00 dir
drwxr-xr-x 2 rafael rafael 4096 Ago 29 14:17 dir2

Listar sem apresentar o dono e grupo; As opções -g ( não mostra o dono ) e -G ( não mostra o grupo ), deixam a saída mais compacta:

$ ls -lgG
  total 12
  drwxr-xr-x 3 4096 Ago 29 14:00 dir
  drwxr-xr-x 2 4096 Ago 29 14:17 dir2
  lrwxrwxrwx 1    7 Ago 29 13:57 exec -> exec.sh
  -rwxr-xr-x 1   19 Ago 29 13:56 exec.sh

Omitir arquivo ou diretório especificado no comando:

$ ls -I dir
  dir2  exec  exec.sh

Listar com o número de inode dos respectivos arquivos e diretórios:

$ ls -i
  780307 dir  780313 dir2  780308 exec  780309 exec.sh

Listar arquivos e diretórios entre aspas:

$ ls -Q
  "dir"  "dir2"  "exec"  "exec.sh"

Listar por ordem de tamanho:

Decrescente:

$ ls -Sl
  total 12
  drwxr-xr-x 3 rafael rafael 4096 Ago 29 14:00 dir
  drwxr-xr-x 2 rafael rafael 4096 Ago 29 14:17 dir2
  -rwxr-xr-x 1 rafael rafael   19 Ago 29 13:56 exec.sh
  lrwxrwxrwx 1 rafael rafael    7 Ago 29 13:57 exec -> exec.sh

Crescente:

$ ls -Srl
total 12
lrwxrwxrwx 1 rafael rafael    7 Ago 29 13:57 exec -> exec.sh
-rwxr-xr-x 1 rafael rafael   19 Ago 29 13:56 exec.sh
drwxr-xr-x 2 rafael rafael 4096 Ago 29 14:17 dir2
drwxr-xr-x 3 rafael rafael 4096 Ago 29 14:00 dir

Mostrar horário do último acesso:

$ ls -ul
  total 12
  drwxr-xr-x 3 rafael rafael 4096 Ago 29 19:18 dir
  drwxr-xr-x 2 rafael rafael 4096 Ago 29 19:18 dir2
  lrwxrwxrwx 1 rafael rafael    7 Ago 29 19:49 exec -> exec.sh
  -rwxr-xr-x 1 rafael rafael   19 Ago 29 19:49 exec.sh

Listar um arquivo por linha:

$ ls -1
  dir
  dir2
  exec
  exec.sh

Estes exemplos são extremamente úteis no cotidiano de um administrador de sistemas. O ls é simples e com as opções, extremamente funcional e por vezes elimina a necessidade de usar outros comandos.

Em suma, com criatividade é possível criar diversas combinações facilitadoras fazendo com que as tarefas sejam mais dinâmicas e rápidas.

Rafael Moraes, é Analista de Suporte e Infraestrutura para sistemas Linux e também Instrutor em cursos preparatórios LPI. Possui as certificações LPIC-1, LPIC-2, ITIL Foundations e CISCO CCDA.


Veja a relação completa dos artigos de Rafael Moraes da Costa