você está aqui: Home  → Arquivo de Mensagens

Instalando o bom e velho GCC 2.95 no Fedora Core 2 ou 3 ou outras distribuições modernas

Colaboração: Juan Carlos Castro y Castro

Data de Publicação: 01 de Julho de 2005

Algumas versões antigas de alguns softwares não compilam direito nas versões mais recentes do GCC. É possível instalar o venerando GCC 2.95 de maneira que ele conviva sem conflitos com o GCC existente, mais recente, e usá-lo só quando for necessário.

Como é de praxe nas minhas dicas, mando um script que faz o ziriguidum & skindolelê todo de uma vez, inclusive o download (12 megabytes). O GCC 2.95 ficará instalado no diretório /usr/local/gcc295, e poderá ser chamado diretamente com o comando gcc295 (link simbólico em /usr/bin).

A maioria dos pacotes fornecidos como fonte permite que você especifique qual o compilador a ser usado editando uma variável no Makefile ou em outro arquivo texto -- nesse caso, basta trocar de gcc (ou cc) para gcc295 e mandar ver.

Ok, o script. Rode como root:

  #!/bin/bash
  cd && \
  wget -t 0 -c ftp://ftp.gnu.org/gnu/gcc/gcc-2.95.3/gcc-everything-2.95.3.tar.gz && \
  cd /usr/src && \
  tar xzvf /tmp/gcc-everything-2.95.3.tar.gz && \
  mkdir gcc295-objs && \
  cd gcc295-objs && \
  /usr/src/gcc-2.95.3/configure --prefix=/usr/local/gcc295 --enable-shared --enable-threads --enable-cpp && \
  make bootstrap-lean && \
  make install && \
  echo /usr/local/gcc295/lib > /etc/ld.so.conf.d/gcc295-i386.conf && \
  ldconfig && \
  cd /usr/bin && \
  ln -s /usr/local/gcc295/bin/gcc gcc295

POSSÍVEIS MODIFICAÇÕES NECESSÁRIAS:

1) Se na sua máquina não existir um diretório chamado /etc/ld.so.conf.d, substitua a linha...

  echo /usr/local/gcc295/lib > /etc/ld.so.conf.d/gcc295-i386.conf && \

por...

  echo /usr/local/gcc295/lib >> /etc/ld.so.conf && \

CUIDADO!!! NESTE CASO SÃO DOIS SINAIS DE MAIOR, JUNTOS!!!

2) Se na sua máquina não existe o comando wget, pode baixar "na mão" o arquivo ftp://ftp.gnu.org/gnu/gcc/gcc-2.95.3/gcc-everything-2.95.3.tar.gz para o diretório home do root (normalmente /root) e simplesmente remover do script a linha do wget.



Veja a relação completa dos artigos de Juan Carlos Castro y Castro

 

 

Opinião dos Leitores

Seja o primeiro a comentar este artigo
*Nome:
Email:
Me notifique sobre novos comentários nessa página
Oculte meu email
*Texto:
 
  Para publicar seu comentário, digite o código contido na imagem acima
 


Powered by Scriptsmill Comments Script