você está aqui: Home  → Arquivo de Mensagens

Instalação de múltiplos sistemas operacionais em um mesmo equipamento

Colaboração: Sergio Kneizl

Data de Publicação: 02 de Julho de 1997

Este texto pode ser livremente distribuido por meios eletronicos, desde que se mantenha integral e sem alteracoes (incluindo o nome do autor). Qualquer outra situacao, incluindo publicacao impressa ou traducoes, devem ser autorizadas pelo autor por escrito.

Sugestoes e comentarios podem ser enviados para o endereco <sergiok (a) ax ibase org br>.

Versao: Jan/1997.

Instalacao de DOS, Windows 95 e NT, OS/2 e Linux em uma mesma maquina

A ideia e' usar o menu de boot que vem com o OS/2, o Boot Manager (Gerenciador de Inicializacao), juntamente com o menu de boot que vem com o NT. O Linux sera' carregado a partir do DOS, porem ele nao usara' o DOS, assumindo o controle da maquina.

Eu usei as seguintes versoes:

  • DOS 5.00
  • Windows 95 (4.00.950 em portugues)
  • Windows NT Server 3.51 em ingles (veio em uma PC Magazine)
  • OS/2 Warp 3.0 (Ou os dois primeiros discos de instalacao)
  • Linux Slackware 2.3 em CD, kernel 1.2.8

Atencao! (depois nao fale que eu nao avisei...)

  • Sera' necessario reparticionar o disco rigido, o que significa perder todos os arquivos.

  • A forma com que o Windows 95 salva os nomes longos de arquivo (mais de 8_letras.3_letras) nao e' compativel com a forma do OS/2 (em FAT). O melhor e' nao misturar em um mesmo drive os dois sistemas. A forma do OS/2 e' menos invasiva (eles sao gravados em um arquivo a parte) do que a do Windows 95 (varias entradas marcadas como label de disco e invisiveis). Em um disco que tem arquivos gravados pelo Windows 95, deve-se usar apenas o scandisk e o Norton Utilities feitos para o 95, senao voce podera' perder todos os nomes longos. Como o Linux grava diretamente no disco e supoe a estrutura antiga, sem nomes longos, e' melhor nao gravar nomes longos do 95 no direto- rio dele. Seguindo os passos abaixo, o disco do Linux nao estara' visivel para o Windows 95.

  • Nao instale programas compressores de disco. Eles trocam alguma perda de desempenho por mais espaco de disco. Depois, em sistemas realmente multitarefa, a perda e' mais notada do que em DOS (estes compressores aproveitam o tempo que o DOS ia desperdicar, esperando os dados chegarem do disco, para descomprimir. Sistemas de verdade aproveitam esse tempo para rodar outros programas). Mas se nao quiser seguir o meu conselho, nao comprima o drive onde os sistemas estao, separe uma particao para isso. Existe uma versao do Stacker para DOS e OS/2, so' que para instalar no OS/2 tem que fazer boot pelo DOS (sem comentarios) e por causa disso o drive do OS/2 deve estar em FAT (a nao ser que voce instale ele editando os arquivos de sistema...)

  • Recomendo a instalacao do OS/2 em uma particao separada, formatada em HPFS. O HPFS e' um sistema de arquivos diferente e mais rapido. E o aumento de velocidade e' maior com o proprio OS/2. So' que um drive com o HPFS nao pode ser acessado por outros sistemas, entao neles o drive nao aparece. Por causa disso, o drive com HPFS deve ser o ultimo (evita que drives mudem de letra quando voce carregar um outro sistema). Porem, o HPFS deve ser usado apenas para maquinas com mais de 8 MB de memoria. Obs.: O HPFS e' reconhecido pelo NT 3.51, mas parece que o suporte a ele foi removido do NT 4.0 (o OS/2 e' do concorrente...).

  • O Windows NT tambem tem um sistema de arquivos proprio, o NTFS, que tambem pode ser instalado. Assim como o HPFS do OS/2, o drive so' podera' ser acessado pelo NT e deve ser o ultimo. Eu nao tentei usar.

  • Quando formatamos um drive pelo DOS ou pelo Windows 95 (estrutura FAT), o espaco livre e' dividido em pedacos fixos chamados clusters. Conforme um arquivo vai aumentando de tamanho, o DOS vai associando clusters ao arquivo. Isso quer dizer, por exemplo, que um arquivo de um byte gastara' um cluster inteiro. O tamanho do cluster depende do tamanho total do drive. Veja a seguinte tabela:

      Tamanho do disco    Tamanho do Cluster
      1GB   < t           32K ou mais
      512MB < t <= 1GB    16K
      256MB < t <= 512MB   8K
      128MB < t <= 256MB   4K
      t <= 128MB   2K ou menos
    
    Quer dizer, um disco de 1.2GB com 9000 arquivos de um byte ocupa 9000 * 32K, ou 281 MB ! Isso e' 23 por cento do disco todo! Detalhe: a primeira instalacao que fiz do Linux tinha 9000 arquivos ... Para simplicidade do texto, eu estou ignorando isso aqui. Se quiser, divida o espaco livre em varias particoes de 512 MB. No HPFS do OS/2, o tamanho do "cluster" e' sempre 0.5K.

  • Cada disco rigido fisico tem quatro "slots" para particoes, sendo que todas as particoes logicas estendidas ocupam um unico "slot". O menu de boot do OS/2 gasta um destes "slots". Assim, em um mesmo disco rigido, nao sera' possivel criar mais particoes primarias alem das que eu explico aqui. Em um outro disco rigido, tambem podemos instalar particoes primarias e particoes logicas. A que ja' vem instalada de fabrica e' sempre uma particao primaria. As letras dos drives sao atribuidas da seguinte forma: primeiro todas as primarias de cada disco rigido, depois as logicas de todos os discos rigidos. Assim, se instalarmos depois um novo disco rigido, como a particao dele e' primaria, ele vai aparecer no meio dos drives existentes, e varios deles vao mudar de letra. Isso pode ser resolvido se apagarmos a particao primaria do disco novo e recriarmos ela como uma particao logica.

  • Por que estou tentando evitar que drives mudem de letra? E' porque alguns programas nao irao funcionar depois que o drive onde eles estao instalados mude. Isto acontece com a maioria dos programas para Windows, mesmo que o path no icone seja consertado.

Passos para a instalacao dos sistemas:


  1. Boot com os discos de instalacao do OS/2 :
  • Disco de instalacao (sem numero)
  • Disco numero 1
  1. Se perguntar sobre instalacao facil ou avancada, escolher a instalacao avancada.

  2. Vai avisar que o OS/2 sera' instalado no drive C, perguntando se quer aceitar a unidade, ou especificar uma unidade/particao diferente. Pedir outra unidade/particao. Vai aparecer (depois do aviso) o FDISK do OS/2.

  3. Apagar todas as particoes. Pressionar ENTER sobre uma particao para ver as opcoes, uma delas serve para eliminar a particao. Deve sobrar uma unica linha infor- mando o espaco livre.

  4. Criar particao do menu. Pressionar ENTER sobre a linha de espaco livre, pedir para instalar o gereciador de inicializacao (ou boot manager) no inicio do espaco livre. Ele vai ocupar de um a dois megabytes.

  5. Criar a particao que contera' o DOS (e, se quiser, o Linux tambem). Sera' o drive C quando fizer boot com o DOS. Pressionar ENTER sobre a linha de espaco livre, pedir para criar uma particao primaria no inicio do espaco livre. Escolher um tamanho suficiente para o DOS e o Linux.

  6. Criar a particao que sera' usada para carregar (boot) o Windows 95 (e, se quiser, o Windows NT tambem): Sera' o drive C quando fizer boot pelo Windows 95 (e NT). Pressionar ENTER sobre a linha de espaco livre, pedir para criar uma particao primaria no inicio do espaco livre. Escolher um tamanho minimo de 6 MB (boot pelo drive C e Windows 95 instalado no D) ou mais, se quiser instalar os arquivos do Windows 95 e/ou NT neste drive.

  7. Criar a particao de programas. Sera' o drive D. Pressionar ENTER sobre a linha de espaco livre, pedir para criar uma particao logica estendida ocupando todo o espaco restante. Ou entao, se quiser criar uma outra particao para instalar o OS/2, crie no inicio do espaco livre e desconte o tamanho ocupado pelo OS/2.

  8. Criar a particao do OS/2 (se for o caso). Sera' o drive E, aparecera' apenas no OS/2 e no NT 3.51 se for formatada com HPFS. Pressionar ENTER sobre a linha de espaco livre, pedir para criar uma particao logica estendida ocupando todo o espaco restante.

  9. Incluir as particoes de boot no menu. Pressionar ENTER sobre cada particao primaria e pedir para incluir ela no gerenciador de inicializacao (boot manager). Vai abrir uma janela para digitar o nome que ira' aparecer no menu. Caso va' instalar o OS/2, fazer o mesmo com a particao onde ele sera' instalado.

  10. Indicar a particao onde sera' instalado o OS/2 (se for o caso). Pressionar ENTER sobre a particao onde sera' instalado o OS/2. Escolher a opcao para marcar a particao como instalavel.

  11. Acertar a forma como o menu sera' apresentado. Pressionar ENTER em qualquer particao. Escolher a opcao de definir os valores de inicializacao. No menu que vai aparecer, pressionar ENTER na opcao de modo para passar ao modo normal. Na opcao de tempo de espera, recomendo 10 segundos. Esse e' o tempo que o menu vai ficar esperando voce escolher um outro sistema. Se voce nao fizer nada, depois desse tempo a ultima opcao escolhida e' usada. Pressionar F3 para confirmar os novos valores.

  12. Salvar as novas particoes. Pressionar F3. Se voce nao vai instalar o OS/2:
  • vai aparecer um aviso que nenhuma particao foi definida como instalavel e pode ser ignorada. Escolher "salvar e sair".
  • quando pedir para inserir o disco do OS/2, pode retirar os discos do drive e apertar o botao de reset. Continue no passo 15. Se voce vai instalar o OS/2, ponha o disco pedido no drive e...

  1. Instalar o OS/2 (se for o caso) Ele vai avisar que a particao do OS/2 sera' formatada e vai perguntar se usa a estrutura FAT (do DOS) ou a HPFS (do OS/2). Se vai usar uma particao em separado so' para o OS/2, eu recomendo usar HPFS.

  2. Instalar o DOS.
  • Rebootar a maquina sem o disquete no drive. Quando aparecer o menu, ir para a opcao do DOS e pressionar ENTER. Ele vai mostrar uma mensagem de erro, porque o DOS nao esta' instalado, mas vai ativar a particao primaria que sera' o drive C.
  • Colocar o primeiro dos discos de instalacao do DOS no drive A e pressionar CTRL-ALT-DEL.
  • Instalar o DOS normalmente. Ele vai formatar todos os drives que encontrar, e com a estrutura FAT (voce nao tem escolha, e e' por isso que o OS/2 deve ser instalado primeiro).

  1. Reativar o menu de boot.
  • Reiniciar a maquina (reset, CTRL-ALT-DEL) sem disquete no drive. Vai entrar o DOS direto, sem o menu.
  • Chamar o FDISK. Pedir para definir a particao ativa. Marcar a menor particao, provavelmente nao-DOS, como a particao ativa. Salvar a alteracao.

  1. Instalar o Windows 95 (se for o caso).
  • Rebootar a maquina sem o disquete no drive. Quando aparecer o menu, ir para a opcao do Windows 95 e pressionar ENTER. Ele vai mostrar de novo a mensagem de erro, ativando a particao primaria que sera' o drive C. Esta outra particao ainda nao esta' forma- tada.
  • Fazer o boot antes da instalacao.
  • Se for o Windows 95 para maquinas sem sistema, vira' um dis- quete a mais de boot. Colocar este disquete no drive e pressionar CTRL-ALT-DEL. Ele deve iniciar a instalacao.
  • Se for um Windows 95 para maquinas com sistema (versao de atualizacao/upgrade) nao existe um disco de boot. Colocar o disco de boot do DOS no drive A e pressionar CTRL-ALT-DEL. No prompt do DOS, digitar "format c:", trocar o disquete pelo primeiro disco do Windows 95, e digitar "instalar" (se for a versao em portugues) ou provavelmente "install" se for a versao em ingles.
  • Continuar a instalacao. Se o drive C foi criado apenas para o boot, instalar o Win 95 para um diretorio do drive D.
  • O Windows 95 vai avisar que existe o Boot Manager/Gerenciador de Inicializacao na maquina, que ele nao vai poder funcionar com o Windows 95, etc. Nao se impressione, isso e' mentira. O menu sera' reativado depois.

  1. Reativar o menu de boot.
  • Reiniciar a maquina (reset, CTRL-ALT-DEL) sem disquete no drive. Vai entrar o Windows 95 direto, sem o menu.
  • Abrir uma janela DOS. Clicar no botao Iniciar no canto inferior esquerdo da tela (ou Start). Escolher a opcao "Programas" e depois a opcao "Prompt do MS-DOS".
  • Chamar o FDISK. Pedir para definir a particao ativa. Marcar a menor particao, provavelmente nao-DOS, como a particao ativa. Salvar a alteracao.

  1. Instalar o Windows NT (se for o caso). Se, ao instalar o Windows NT, ele perceber que o Windows 95 ja' esta' instalado, ele inclui um outro menu para escolher entre os dois sistemas. Assim, passaremos por dois menus para carregar o Windows 95 ou o Windows NT.
  • Reiniciar a maquina e escolher a opcao do Windows 95. Isso vai ativar o drive C que carrega ele.
  • Reiniciar a maquina novamente com os discos de boot no NT. Eles podem ser gerados a partir do proprio CD com o winnt.exe. Eu tive problemas com o suporte ao drive A durante a instalacao, entao eu tive que instalar sem disquetes (acho que usei "winnt /b")
  • Instalar normalmente.

  1. Instalar o Linux (se for o caso). O Linux pode ser instalado em uma particao separada, com a estru- tura de arquivos dele proprio, ou em uma particao FAT. No meu caso, instalei em uma particao FAT junto com o DOS, e tambem porque nao era possivel ter uma outra particao primaria para ele (estava usando um disco rigido apenas). Esta particao tambem fica invisivel para o Windows 95, entao ela nao tera' os nomes longos do 95.

    Eu usei o Linux Slackware 2.3 em CD (kernel 1.2.8). Eu nao conse- gui instalar a partir do CD, entao copiei o subdiretorio de instalacao para o disco rigido. Os dois disquetes de instalacao que gerei foram o Rootdisk para instalar o Linux em um subdiretorio de uma particao DOS e o Bootdisk IDE-CD (IDE/ATAPI). Eu usei o lodlin15.zip, Loadlin v. 1.5 que veio com o CD e serve para carregar o Linux a partir do DOS. O DOS nao sera' usado para o funcionamento do Linux. Descompacte ele e use o seguinte

Linux.bat :

  rem Habilite a linha abaixo se o smartdrv estiver sendo usado
  REM smartdrv /C
  
  REM Retirei o vga=3 depois do rw mas nao sei para que serve
  c:\linux\root\loadlin c:\linux\vmlinuz root=/dev/hda3 rw

O CD vem tambem com o Lilo, que inclui o Linux no menu de boot do OS/2, mas nao tentei usar.



 

 

Veja a relação completa dos artigos de Sergio Kneizl

Opinião dos Leitores

Seja o primeiro a comentar este artigo
*Nome:
Email:
Me notifique sobre novos comentários nessa página
Oculte meu email
*Texto:
 
  Para publicar seu comentário, digite o código contido na imagem acima
 


Powered by Scriptsmill Comments Script