você está aqui: Home  → Arquivo de Mensagens

Infraestrutura para EAD

Colaboração: Rubens Queiroz de Almeida

Data de Publicação: 23 de Setembro de 2007

O objetivo deste artigo é demonstrar que a infraestrutura computacional para educação a distância, para projetos de pequeno e médio porte, pode ser facilmente atendida através modalidades de serviços oferecidas atualmente pelos provedores de acesso à Internet. Estes serviços são hoje oferecidos a preços extremamente acessiveis e liberam o instrutor ou a instituição de diversas tarefas periféricas tais como instalação de sistemas, manutenção de links com a Internet e backups.

Para auxiliar na compreensão dos termos técnicos empregados, foi incluído, ao final do artigo, um pequeno glossário.

Infraestrutura computacional para EAD

A infraestrutura computacional necessária para a montagem de cursos a distância pode variar muito, dependendo do número de alunos e da forma escolhida para condução das atividades. Em termos de recursos humanos pode ser necessária uma equipe que contenha especialistas em sistemas operacionais, plantão operacional 24 horas por dia, operadores, sistemas especiais de backup, especialistas em banco de dados, especialistas em tecnologias multimídia, apenas para citar alguns.

A viabilização de toda esta infraestrutura, embora desejável, nem sempre é possível ou mesmo desejável. O dimensionamento dos custos deve levar em conta apenas aquilo que for indispensável. É necessário serviço de plantão 24 horas por dia, sete dias por semana? Cada item deve ser analisado com muito critério e lucidez, pois os custos resultantes podem facilmente inviabilizar um projeto.

Projetos institucionais certamente não poderão abrir mão da maioria dos itens apresentados acima, porém no outro lado do espectro, temos projetos de pequeno e médio porte que não exigem tantos cuidados e recursos. Um docente, em uma instituição que não ofereça um ambiente corporativo para oferta de cursos, certamente encontrará muitos obstáculos, a maioria dos quais facilmente contornáveis, desde que se possua a informação apropriada. Qualquer pessoa que tenha em mente oferecer um curso irá relacionar, como necessidades básicas, um computador dedicado, um especialista no sistema operacional de sua escolha e conexão dedicada à Internet. Como bem sabemos, para o leigo, tais pré-requisitos, embora pequenos, podem ser obstáculos intransponíveis.

Entretanto, todos estes serviços, com exceção do especialista em sistemas operacionais, podem ser contratados por preços que começam em aproximadamente trinta reais mensais ou até menos. Contribui significativamente para estes custos tão baixos, a grande oferta de alternativas em software livre, que permitem que todo o ambiente seja construído sem nenhum investimento em software. Todos os programas, desde a linguagem de programação, banco de dados e o ambiente de aprendizagem virtual, são de livre uso e distribuídos sob a licença GPL.

Modalidades de Acesso Disponíveis

Acesso Compartilhado

Como padrão, a maioria dos provedores internet oferece acesso a um banco de dados, geralmente Mysql e suporte à linguagem PHP, que é utilizada por ambientes de aprendizagem virtuais como TelEduc e Moodle. Em ainda outros provedores, até a instalação do Moodle pode ser feita de forma automática, por meio de scripts, dispensando a interferência de um especialista. O Moodle, por utilizar apenas um banco de dados e diversas tabelas, pode ser instalado facilmente, mesmo em ambientes que não ofereçam scripts automatizados. O TelEduc, por sua vez, possui requisitos diferentes. Cada disciplina requer um banco de dados dedicado, o que inviabiliza a sua instalação em provedores de acesso padrão, que oferecem a seus clientes apenas um banco de dados.

Servidores Virtuais Privados

Hoje em dia é bastante comum, principalmente no exterior, a oferta de serviços chamados VPS, abreviação de Virtual Private Servers, ou servidores privativos virtuais. Por meio de um software especial, um computador é dividido em diversos compartimentos, cada um deles possuindo uma parcela dos recursos computacionais do equipamento. Por exemplo, é possível contratar um serviço de servidores virtuais com 128 MB de memória RAM, 3 GB de espaço em disco e uma banda de dados de 50 GB mensas. Este serviço é praticado no Brasil a preços extremamente altos, porém no exterior, principalmente nos Estados Unidos, este serviço é oferecido, no patamar inicial, por volta de 30 dólares mensais.

A grande vantagem do servidor virtual é que o contratante possui total controle de todos os serviços da máquina, ou como se diz no jargão da área de informática, possui acesso do super usuário, o root. Com estes privilégios, é possível se instalar não apenas os ambientes de aprendizagem virtual desejados, mas também qualquer outro software que se fizer necessário. Nos ambientes de uso compartilhado qualquer ação que demande mais recursos irá acarretar um grande inconveniente sobre os demais usuários. Se um usuário de um ambiente compartilhado enviar um número excessivo de mensagens, todos irão vivenciar uma diminuição na performance do equipamento. Já os ambientes virtuais não padecem deste problema, pois cada compartimento é independente dos demais e tem a garantia dos recursos computacionais contratados.

O problema maior dos servidores virtuais, é a exigência de um especialista, para fazer a configuração inicial de todo o sistema. O provedor oferece o serviço apenas com as funcionalidades básicas. Tudo o mais deve ser configurado manualmente. Ainda assim, após a configuração inicial, pouca interferência será necessária, pois todas as tarefas de manutenção podem ser agendadas automaticamente. O backup geralmente é um serviço oferecido pelo provedor, mas mesmo assim é conveniente, ao contratar o especialista, que se solicite a criação de procedimentos de backup dos dados mais vitais.

Conclusão

Estas duas alternativas são bastante atraentes, pois reduzem substancialmente o custo inicial de montagem de um curso a distância. O provedor oferece um serviço de qualidade, dispensando a aquisição de computadores e backup. Os instrutores são dispensados de tarefas tais como verificar constantemente a conexão da internet, se a máquina está no ar e funcionando adequadamente e diversas outras atividades que não agregam valor à atividade de ensino em si.

Referências

Glossário de Termos Técnicos

  • PHP (um acrônimo recursivo para PHP: Hypertext Preprocessor) é uma linguagem de programação de computadores interpretada, livre e muito utilizada para gerar conteúdo dinâmico na Web, como por exemplo fóruns. Apesar de ser uma linguagem de fácil aprendizagem e de utilização para pequenos scripts dinâmicos simples, o PHP é uma linguagem poderosa orientada a objetos. (Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Php)

  • O MySQL é um sistema de gerenciamento de banco de dados (SGBD), que utiliza a linguagem SQL (Structured Query Language - Linguagem de Consulta Estruturada) como interface. É atualmente um dos bancos de dados mais populares, com mais de 10 milhões de instalações pelo mundo. (Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Mysql)

  • (...) sistema operacional é um programa ou um conjunto de programas cuja função é servir de interface entre um computador e o usuário. É comum utilizar-se a abreviatura SO (em português) ou OS (do inglês "Operating System"). Segundo Tanenbaum e Silberschatz existem dois modos distintos de conceituar um sistema operacional: (i) pela perspectiva do usuário (visão "top-down"), é uma abstração do hardware, fazendo o papel de intermediário entre o aplicativo (programa) e os componentes físicos do computador (hardware); (ii) numa visão "bottom-up", de baixo para cima, é um gerenciador de recursos, i.e., controla quais aplicações (processos) podem ser executadas, quando, que recursos (memória, disco, periféricos) podem ser utilizados. (Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Sistemas_operacionais)

  • General Public License (Licença Pública Geral), GNU GPL ou simplesmente GPL, é a designação da licença para software livre idealizada por Richard Stallman no final da década de 1980, no âmbito do projecto GNU da Free Software Foundation (FSF). A GPL é a licença com maior utilização por parte de projectos de software livre, em grande parte devido à sua adoção para o Linux. O software utilizado para administrar o conteúdo da Wikipédia é coberto por esta licença, na sua versão 2.0 ou superiores. (Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/GNU_General_Public_License)

  • VPS (Virtual Private Server) é um servidor em ambiente compartilhado que possui acesso root (administrador) e processos independentes para cada conta VPS criada, funciona assim como todo computador, cada conta VPS no servidor possui seu sistema independente, ou seja você pode configurá-lo de acordo com a sua real necessidade (instalar novos programas, etc.) A Ideologia de um VPS é simples, temos por exemplo, um servidor extramamente robusto, dividido por várias máquinas virtuais através de técnica de virtualização (Ex. vmware). Cada uma dessas máquinas virtuais roda como uma máquina real, permitindo tratá-la como um servidor dedicado. (Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Vps)

  • Linux é um sistema operacional que foi desenvolvido por Linus Torvalds a partir do código fonte do sistema Minix, que por sua vez é uma simplificação do Unix, e que por fim proveio do sistema Multics, isto é, o primeiro sistema operacional de tempo compartilhado(CTSS - Compatible Timesharing System). O Linux é um dos mais proeminentes exemplos de desenvolvimento com código aberto e de software livre. O seu código fonte está disponível sob licença GPL para qualquer pessoa utilizar, estudar, modificar e distribuir livremente. (Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Linux)

Este artigo foi publicado originalmente no Boletim EAD do Centro de Computação da Unicamp


 

 

Veja a relação completa dos artigos de Rubens Queiroz de Almeida

Opinião dos Leitores

Seja o primeiro a comentar este artigo
*Nome:
Email:
Me notifique sobre novos comentários nessa página
Oculte meu email
*Texto:
 
  Para publicar seu comentário, digite o código contido na imagem acima
 


Powered by Scriptsmill Comments Script