você está aqui: Home  → Arquivo de Mensagens

Distros para Pessoas com Deficiências

Colaboração: Cleverson Casarin Uliana

Data de Publicação: 02 de Junho de 2006

As grandes distribuições do GNU/Linux como a Debian e a Slackware trazem tecnologias livres assistivas a pessoas com deficiências mas geralmente as mantêm dispersas. Algumas distros oferecem essas soluções de modo mais pré-configurado e outras ainda são desenvolvidas e destinadas especificamente ao público com esta ou aquela deficiência.

No primeiro caso temos como exemplo o Live CD do Ubuntu, que embora de uso geral, traz uma série de opções selecionáveis durante a inicialização, tais como contraste de cores, personalização do funcionamento do teclado, sintetizadores de voz, etc. A página do projeto é https://wiki.ubuntu.com//AccessibleHoaryLiveCDDerivative

No caso de distros voltadas ao público com algum tipo de deficiência, conheço pelo menos duas para pessoas cegas e com baixa visão, que é o meu caso (sou cego total). Uma é a Oralux, cuja tradução da maioria do site foi feita por mim (sou colaborador do projeto).

O Oralux traz uma gama grande de sintetizadores de voz e leitores de tela em inúmeros idiomas incluindo o nosso Português.

Para quem não sabe e resumidamente, sintetizadores de voz são softwares que pegam um texto escrito, convertem-no em fonemas/sons do idioma e depois reproduz em som audível e inteligível esse texto como se fosse uma pessoa lendo. Já os "leitores de tela" são interfaces entre esses sintetizadores e os programas em geral, permitindo ao usuário escolher quais informações são lidas e quando.

Essa união permite a construção de ambientes/desktops falados personalizáveis usando programas de amplo uso geral. Um exemplo é o Emacspeak construído encima do Emacs. Outro exemplo de leitor de tela para GNU/Linux que vem no Oralux é o Speakup

Existe também uma distribuição genuinamente brasileira que pode ser usada por pessoas cegas; é o Linvox, baseada no Kurumin 6.0. O Linvox traz o Dosvox, um ambiente falado para Windows que, rodando em Linux via Wine, funciona como um leitor de telas.

Por fim, ressalte-se que as distros tradicionais como as que citei acima possuem projetos internos para melhorar a acessibilidade delas. Um exemplo é o Debian Accessibility Project.

Bem, espero ter contribuído no auxílio e esclarecimento sobre uma das formas de interação com o mundo desse segmento de pessoas que cada vez mais ganha espaço em todos os âmbitos sociais.

P.S.: Se o Aurélio Marinho estiver lendo isso, parabéns a ele pelo TXT2TAGS que uso inclusive para converter e atualizar minha dissertação de mestrado.



Veja a relação completa dos artigos de Cleverson Casarin Uliana

 

 

Opinião dos Leitores

Seja o primeiro a comentar este artigo
*Nome:
Email:
Me notifique sobre novos comentários nessa página
Oculte meu email
*Texto:
 
  Para publicar seu comentário, digite o código contido na imagem acima
 


Powered by Scriptsmill Comments Script