você está aqui: Home  → Arquivo de Mensagens

Criação de arquivos TAR utilizando cpio

Colaboração: José Messias Alves da Silva

Data de Publicação: 03 de março de 2008

Cpio é uma ferramenta GNU para criação e extração de arquivos, movimentação de arquivos de um local para outro, bem como leitura e escrita de arquivos tar, Tape ARchives.

O cpio tem inúmeras opções, tais como, realização de byte-swapping (alteração de big-endian para little-endian e vice-versa), gravação de uma diversidade de sistemas de arquivos de diferentes formatos, dentre outras.

A grande vantagem do cpio sobre a ferramenta tar é que ele pode utilizar como entrada a saída de outros comandos, como o find.

Por exemplo, caso se deseje gerar um arquivo tar de todos os arquivos de configuração do sistema, executa-se o seguite conjunto de comandos:

  $ find /etc -iname \*.conf | cpio -o --format=tar > arquivo.tar

ou, pode-se substituir a opção --format pela opção -H

  $ find /etc -iname \*.conf | cpio -o -H tar > arquivo.tar

O mesmo comando, porém, agora sem redicionamento

  $ find /etc -iname \*.conf  | cpio -o --format=tar -F arquivo.tar

ou, de forma alternativa

  $ find /etc -iname \*.conf | cpio -o -H tar -F arquivo.tar

É possível acrescentar dados a um arquivo tar já existente. Para tanto, primeiro, gera-se um arquivo tar com alguns dados:

  $ find ../diretorio1 | cpio -o --format=tar -F arquivo.tar

Agora, acrescenta-se os dados de um diretorio2 ao arquivo tar recém-criado usando a opção --append, ou -A

  $ find ../diretorio2 | cpio -o --format=tar --append -F arquivo.tar

Listando o conteúdo de um arquivo tar, o que é feito por meio da opção -t.

  $ cpio -it  < arquivo.tar

alternativamente,

  $ cpio -it -F arquivo.tar

Extraindo o conteúdo de um arquivo tar. Para este fim, usa-se apenas a opção -i

  $ cpio -i -F arquivo.tar

Notas: Para realizar backup em fita, basta direcionar a saída o comando cpio para -O /dev/st0. De maneira análoga, para restauração do backup pode informar a fita como entrada do comando -I /dev/st0

A opção -H, --format, oferece suporte a uma série de formatos padrão POSIX (Portable Operating System Interface UniX).

O formato de saída padrão é bin. O padrão para a entrada é a autodetecção do formato. Os formatos válidos são:

bin binário.
odc antigo formato portável (POSIX.1).
newc novo formato portável (SVR4).
crc novo formato portável (SVR4) com checksum adicionado.
tar Tar, Tape ARchives
ustar POSIX.1 tar (também reconhece arquivos GNU tar).
hpbin binário HP-UX (já obsoleto).
hpodc formato portável do HP-UX.

Para mais informações, utilizar o help da ferramenta:

  $cpio --help


 

 

Veja a relação completa dos artigos de José Messias Alves da Silva

Opinião dos Leitores

Seja o primeiro a comentar este artigo
*Nome:
Email:
Me notifique sobre novos comentários nessa página
Oculte meu email
*Texto:
 
  Para publicar seu comentário, digite o código contido na imagem acima
 


Powered by Scriptsmill Comments Script