você está aqui: Home  → Arquivo de Mensagens

Assine a Lista Dicas-L

Receba diariamente por email as dicas
de informática publicadas neste site
Para se descadastrar, clique aqui.

BR-Linux entrevista Gaël Duval, criador do Mandrakelinux, sobre a aquisição da Conectiva

Colaboração: Rubens Queiroz de Almeida

Data de Publicação: 11 de Março de 2005

Fonte: BR-Linux.ORG

Após a repercussão da notícia da aquisição da Conectiva pela Mandrakesoft, que foi publicada aqui no BR-Linux na última quinta-feira e recebeu mais de 120 comentários dos leitores, percebi a necessidade de buscar responder às questões dos leitores, expressas neste conjunto de manifestações. A entrevista com o CEO da Conectiva publicada pela Linux Magazine Brasil ajudou a responder algumas das questões, mas conseguimos dar um passo além: com a ajuda de Marco Tulio da Silva Lima (que é mantenedor da área em português do site da Mandrakesoft) obtive uma entrevista com Gaël Duval, criador do Mandrake Linux e co-fundador da Mandrakesoft e tive oportunidade de levar a ele algumas das principais questões levantadas pelos usuários - mesmo as que eu conhecia a resposta.

Abaixo você vê a íntegra da tradução da entrevista. Ao final há um link para o texto original em inglês.

BR-Linux - Em primeiro lugar, deixe-me dizer que eu gosto da maneira da Mandrake ser parte da comunidade. Vibrei com o anúncio inicial da distribuição, e aprecio sua permanente oferta de uma versão para download quase completamente composta de softwares livres (creio que há exceções como o mpg123, que não chega a ser um software fechado). O anúncio de dificuldades financeiras me preocupou, e a recuperação me deixou feliz. Ofertas criativas de produtos como o Mandrake Move e os HDs externos com o Mandrake Linux pré-instalado sempre me surpreenderam. Que momentos na história da Mandrake foram os mais excitantes para você?

Duval - O começo, com certeza. Foi muito excitante para mim lançar o Mandrakelinux, um novo produto que rapidamente se tornou um sucesso em vários países antes mesmo da França, onde estou.

Mas a união entre Conectiva e Mandrakesoft também é muito emocionante: nós tivemos o maior retorno da mídia desde a criação da Mandrakesoft.

BR-Linux - A Conectiva mantém alguns softwares que parecem bastante específicos, e possivelmente que sobrepõem ofertas já incluídas no Mandrakelinux - como o apt-rpm, synaptics e o gerenciador de pacotes smart. A Mandrakesoft vai continuar o ciclo de vida destes produtos como softwares desenvolvidos internamente, ou eles serão lançados para manutenção pela comunidade diretamente?

Duval - Não há atualmente nenhum plano sobre como vamos lidar com estas tecnologias. Isto é verdadeiro em ambas as direções (tanto para a Mandrakesoft quanto para a Conectiva). Por exemplo, seria muito interessante ter a tecnologia do gerenciador de pacotes Smart incluída no produto resultante Mandrakesoft+Conectiva.

BR-Linux - Adicionalmente, a Conectiva contribui amplamente para projetos como o kernel Linux e o KDE. Sei que a Mandrakesoft contribui para estes projetos também. Os atuais desenvolvedores da Conectiva no Brasil continuarão contribuindo para estes projetos livres nos mesmos termos, ou você antevê (ou planeja) mudanças nesta área?

Duval - Não há nenhum plano atualmente para interromper estas contribuições. Nós, na Mandrakesoft, sempre suportamos muito os projetos da comunidade Open-Source. Contribuímos para o KDE, o GNOME, compramos o Bochs para converter sua licença proprietária para uma livre, e outros! Além disso, todos os desenvolvimentos da Mandrakesoft são disponibilizados sob a GPL.

BR-Linux - O governo brasileiro já mandou muitos sinais de que é um forte apoiador do software livre, e o projeto do PC Conectado tem recebido grande atenção da mídia, porque seria um PC com software livre relativamente barato e acessível para a população em geral. A Mandrakesoft tem planos de participar deste projeto? Você pode adiantar a nossos leitores algo sobre seus planos para o mercado brasileiro e sul-americano?

Duval - A Conectiva vai manter-se bastante autônoma no que diz respeito a estes dois mercados, porque eles conhecem o mercado e nós não. Nós vamos unir nossas linhas de produtos progressivamente, mas o mercado sul-americano vai ser tratado localmente pela Conectiva, portanto todas as ofertas vão manter-se de acordo com as necessidades brasileiras e sul-americanas. Por outro lado, a Conectiva deve beneficiar-se dos novos serviços da Mandrakesoft adaptados ao Brasil, como o Corporate Club e outros.

BR-Linux - O Conectiva Linux 10 foi muito bem recebido pela comunidade. Neste momento, a imprensa em geral já nos informou sobre a intenção de lançar um produto convergente até o final do ano. Você pode nos adiantar algo sobre os planos para este produto? Ele será o primeiro produto do LCC? Ele terá a marca Conectiva no Brasil? Ele terá características de um híbrido, ou será mais como uma evolução do Mandrake atual com alguns componentes do Conectiva incluídos?

Duval - Nós queremos incluir o melhor do Mandrakelinux no Conectiva e o melhor do Conectiva no Mandrakelinux. A meta é fazer todos os produtos e serviços convergirem para uma única linha. Isto é muito importante para impulsionar nossas capacidades de Pesquisa & Desenvolvimento e garantia de qualidade. Mas todos os produtos e serviços lançados pela Conectiva para o mercado local serão, claro, adaptados.

Com relação ao LCC, isto não muda nada para o projeto: a meta é lançar publicamente e manter uma "distribuição básica de Linux compatível com o LSB 2.0-compliant" comum, tanto em RPM quando em DEB. Então, cada vendedor pode usar este produto básico para construir seus produtos sobre ele. Esperamos ver isto acontecer particularmente para nossa linha de produtos corporativos, tão logo possível.

BR-Linux - Por falar nisto, a marca Conectiva, seus produtos e serviços serão mantidos? As pessoas já estão apostando em nomes estranhos como Mandraktiva...

Duval - Vamos comunicar sobre marcas em um mês.

BR-Linux - Tem havido muita especulação desinformada sobre o Mandrake Club. Como não é uma iniciativa comum no Brasil, e acredito que não seja fácil para muitos fãs brasileiros administrar os pagamentos internacionais envolvidos, infelizmente algumas pessoas têm espalhado FUD sobre as atualizações e correções do Mandrake serem restritas a membros pagantes...

Duval - Isto realmente não é verdade. Nós mantemos um produto 100% livre e completo chamado "Mandrakelinux Download Edition" (atualmente na versão 10.1 Official), que pode ser atualizado (segurança e correção de bugs) gratuitamente e online com a ferramenta Mandrakeupdate, sem nenhuma restrição.

BR-Linux - Também há comentários no mesmo estilo sobre os usuários que não pagam receberem versões "depenadas" do MandrakeLinux. Você pode esclarecer estes mitos para nossos leitores?

Duval - O MandrakeClub foi criado para agregar valor para membros pagantes, não para dar menos aos outros. Nunca vi ninguém reclamar sobre o fato de novas versões do MandrakeLinux estarem disponíveis algumas semanas antes para os associados. Este é na verdade uma maneira equilibrada de combinar suporte real ao Software Livre e negócios. E quanto mais negociamos, mais podemos colaborar no desenvolvimento do software livre.

BR-Linux - Há enormes diferenças econômicas e financeiras entre o típico usuário norte-americano ou europeu e seus equivalentes brasileiros ou sul-americanos. Como a Mandrakesoft pretende lidar com esta questão no que diz respeito a taxas do clube ou preços de produtos e serviços em geral para usuários finais?

Duval - Isto é algo com que a Conectiva irá lidar. Eles irão adaptar as ofertas aos mercados brasileiros e sul-americanos, inclusive os preços.

BR-Linux - Qual será o status dos executivos da Conectiva na nova companhia?

Duval - Os executivos da Conectiva permanecem sendo executivos da Conectiva.

BR-Linux - E os desenvolvedores e outros empregados? Você antevê alguns deles mudando para Paris? Veremos um aumento no número de desenvolvedores brasileiros trabalhando na empresa?

Duval - Penso (e espero) que veremos diversos empregados mudando, temporariamente ou em caráter permanente, da França para o Brasil, e do Brasil para a França, dependendo de desejos e oportunidades.

Com relação ao aumento no número de empregados, isto é possível quando há necessidade de crescer, e os correspondentes meios financeiros. Nosso primeiro passo é organizar a fusão e torná-la eficiente.

BR-Linux - Como os outros dois integrantes do LCC reagiram à notícia?

Duval - Muito bem.

BR-Linux - Como a comunidade Linux brasileira pode ser útil para auxiliar no período de transição?

Duval - Nós ficaríamos extremamente felizes em regularmente receber (mail para "<fun (a) linux-mandrake com>", assunto "Conectiva") feedback e sugestões sobre a fusão, incluindo pontos positivos e negativos.

BR-Linux - Para finalizar, como você vê esta aquisição à luz da filosofia da Mandrakesoft?

Duval - Penso que esta fusão com a Conectiva está realmente alinhada com os ideais iniciais da Mandrakesoft no sentido de desenvolver uma distribuição Linux realmente internacional que respeite o Software Livre e a cultura e as necessidades locais. Estamos vibrando com o que irá resultar do mix cultural, e a nova companhia Linux combinada é totalmente única neste aspecto.

Versão em inglês

 

 

Veja a relação completa dos artigos de Rubens Queiroz de Almeida

Avalie esta dica